20/07/2009

Sobre quando se perde o controle

(Para aquele que conheço tão profundamente)
Se com a ausência só existir escuridão? É quando o caminho não leva ao lugar programado e já não se pode mais guiá-lo por si só - e nem por isso o percursso é menos desejado.
Enquanto nada faz sentido é mais fácil negar todo tipo de obssessão - sim, de repente é obssessão! - mas depois que o sentido vem acompanhado de calor humano, a obssessão vira vício, como o álcool...
E se eu tiver mesmo me apegado? Vai ser adoração até meu último suspiro.
Gostar não é estar sempre do lado. É a alma se doar, e o corpo se doar. Ser fiel a todo instante, mas fidelidade é mais profundo, é algo mais que físico.
Manter o controle é comum, é normal. Se existe coisa mais intensa é perdê-lo por um perfume.

Soneto do Amor Total

"Amo-te tanto, meu amor... não cante
O humano coração com mais verdade...
Amo-te como amigo e como amante
Numa sempre diversa realidade
Amo-te afim, de um calmo amor prestante
E te amo além, presente na saudade.
Amo-te, enfim, com grande liberdade
Dentro da eternidade e a cada instante.

Amo-te como um bicho, simplesmente,
De um amor sem mistério e sem virtude
Com um desejo maciço e permanente.

E de te amar assim e amiúde,
É que um dia em teu corpo de repente
Hei de morrer de amar mais do que pude."
[Vinícius de Moraes]