04/08/2009

Sonho.



O dia estava calmo, talvez o céu estivesse um pouco mais acinzentado que o normal.
Eu acabara de chegar de uma escola perto da minha casa, não me lembro o que fazia lá.
Minha casa estava vazia, minha mãe e meu pai tinham ido trabalhar e meu namorado não apareceu, como o combinado.
Como se fosse lógico, tentei ligar para ele, mas o telefone estava mudo e a luz acabou. Fui até o orelhão mais próximo que também não funcionava, e não havia energia elétrica em toda a cidade, pelo que parecia.
O céu escurecia cada vez mais e o vento fazia arder a pele, mas eu não notava isso, não sei por quê e continuava andando.
Algumas pessoas - as poucas que passavam pela rua - corriam na direção oposta à que eu estava indo, mas não diziam nada; algumas amigas passaram e olharam para trás, como se horrorizadas comigo, mas não era comigo.
Olhei para trás. O vento derrubava todas as árvores de uma pequena floresta no alto de um morro, parecia uma aterrorizante mágica.
Corri para minha casa o mais rápido que pude e entendei o que acontecia mais facilmente. Era o fim. Apocalipse? Catástrofe natural? Tanto faz, quando se está próximo do fim, certas coisas não fazem muita diferença.
Ao chegar em casa, na varanda, o vento arrebatador continuava e uma enchente começou a se formar nos bairros mais baixos.
Senti um estremecer no corpo, então meu pai chegou.
Perguntei onde estava minha mãe, ele não sabia, ia termianr por ali mesmo e ninguém podia fazer nada.
Olhei pela varanda de novo e a água já tinha uma força inigualável e vindo na minha direção.
Fui para dentro de casa procurando meu pai.
A casa inundava mais e mais, não tinha como escapar.
Está acabado, pensei. Abracei meu pai, prendi a respiração para não chorar, senti a água entrar com toda força onde estávamos, até ficarmos submersos... e acordei.
Esse foi um "sonho" que eu tive essa noite. Não sei por quê, mas eu fiquei meio impressionada ou até apavorada com ele. rs
Minha narração não ficou nenhuma obra de arte, mas queria "postar o meu sonho" aqui, mesmo assim.
[Foto: by myself. hehe. Isso aí é o que eu vejo toda tarde da minha janela! Não troco momentos como esse por nada.]