24/09/2015

Um Caminho de Volta, Larissa Oliveira



"Dentre as milhares de estrelas, consegui enxergar as Três Marias, a única constelação que conseguia identificar. Acho que no céu, o céu de verdade, as estrelas eram como as do céu do hospital. Assim como no céu de lá, aqui as estrelas também tinham nome."

Gênero difundido em todo o mundo, todo leitor, com certeza, já se deparou com algum livro YA (Young Adults) ou Jovens-Adultos, e é exatamente este gênero que  Larissa Oliveira emprega  para contar sua história em Um Caminho de Volta, lançamento de 2014 da Interagir Editora.

Um Caminho de Volta narra o ano nada fácil de Luisa, uma estudante do Ensino Médio que mora com os pais. Seu melhor amigo é Fred, a amizade deles é do tipo em que um deixa a escova de dentes na casa do outro, por passarem muito tempo juntos. Ambos os adolescentes possuem um perfil típico, com uma vida tranquila, sem rebeldias ou exageros, exceto que Fred não se apega a nenhuma menina com quem se relaciona. Os eventos são serenos até que Luisa passa por alguns problemas imutáveis, por falta de palavra melhor, em sua vida.

Os eventos cotidianos representam bem o tom de ironia e acidez, empregados frequentemente ao longo desta fase da vida. Experiências da personagem são entrelaçadas com períodos em sala de aula, a falta de prática para cozinhar, relacionamentos amorosos, há até um eventual momento de declamação de poesias no colégio em que ela estuda. O nível de maturidade nos diálogos são retratados seguindo o personagem em questão e o andamento da história.

O tema central é delicado, difícil de ser abordado e, de uma forma geral, se trata de superação. A autora tem uma visão diferenciada sobre o luto, tanto no sentido da escolha dos artifícios para a narração, quanto no sentido da escolha prévia deste tema para ser trabalhado.

Inúmeras vezes, a narradora, que neste caso também é Luisa, reflete sobre o ato de chorar, de sua relutância em fazê-lo publicamente. Após o ápice do romance, ela já não demonstra tanta resistência em esconder tal manifestação de lamento. Interessante é a visão sobre o assunto, pois o luto requer formas de expressão para que não reste sofrimento, mas apenas saudade, isso cientificamente falando. E a personagem principal faz exatamente isso, expressa a lástima da forma que justamente lhe seria oposta em situações casuais.

Luisa se envolve com algumas crianças hospitalizadas e depara-se com o trabalho voluntário. Além de mostrar que este tipo de trabalho pode ser prazeroso, mostra que a compaixão e vontade de ajudar tendem a fazer com que o voluntário cresça pessoalmente. São passagens inspiradoras, principalmente vindas da visão de uma adolescente.

A leitura é fácil, ágil, extremamente comovente e delicada. A narração também  traz características claramente descritivas, especificando um pouco do cenário, as expressões, e principalmente as roupas dos personagens.

Um Caminho de Volta possui episódios tristes (não se sinta embaraçado, caso lágrimas saiam dos olhos), mas seu ápice está mesmo no enfrentamento das adversidades. Além dos temas sérios, há o romance inserido na trama, as amizades de Luisa, tudo isso tornando a leitura agradável. Longe de ser um spoiler, Larissa e sua graciosa visão do mundo mostram que, por mais dolorosas as dificuldades da vida, a superação é sempre o ponto positivo.

"Senti uma coisa estranha ao ver o quão perto seu rosto estava do meu. Engoli em seco e parei de respirar por um momento ao ver seus olhos escuros a poucos centímetros de distância dos meus."